Em cima da hora:
Enchente atinge bananais em três cidades do Vale do Ribeira, SP
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Reforma Protestante: quem explica Deus?


    09/10/2017 às 11:31h
    Recomendar
    Reforma Protestante: quem explica Deus?
    Com a Reforma, O Filho de Deus voltou a ser o caminho de salvação. A Palavra de Deus voltou a ser importante fonte do falar de Deus, essencial para transformação do homem

    Por Nils Alberto G Bergsten (*)

    Alguns eventos tem o poder de marcar e até mudar a História. O Atentado de 11 de Setembro às Torres Gêmeas, nos EUA, é um bom exemplo, em tempos modernos.
    O ano de 1517 marca o início da chamada Reforma Protestante, que em 2017 completa 500 anos. São 500 anos que alguns vilanizam um homem, Martinho Lutero, como se ele tivesse, à época, premeditado cada ação para obter repercussão de transformação ao longo dos próximos séculos.

    Os tempos eram complexos. James Hitchcock, sintetiza que "a Igreja Católica, como instituição universal, figurava como um obstáculo às emergentes monarquias nacionais". Sobre Lutero ele diz "A Europa estava pronta para a explosão, e Lutero acendeu o pavio". Christopher Dawson, respeitado historiador católico, explica que a cultura da Renascença era urbana e semelhante às cidades-estado do mundo grego, propiciando o surgimento de uma elite intelectual e convidando o cidadão à liberdade individual. Também descreve os muitos movimentos de Reforma, citando homens como Jan van Ruysbroeck de Groenendaal, fundador de uma comunidade de leigos chamada Irmandade da Vida Comum, onde se destacavam Nicolau de Cusa e o próprio Erasmo de Roterdã. A "panela de pressão" estava no fogo e em plena pressão, quando tudo aconteceu.

    Que grito era este, preso na garganta de tanta gente, aparentemente "contra Deus e Sua Santa Igreja?" Que motivos são esses, de se levantar contra "a verdade"? A Reforma foi mesmo rebeldia iluminista? Citemos então agora algumas passagens bíblicas: Salmos 115.2,3 - Por que perguntam as nações: "Onde está o Deus deles?" O nosso Deus está nos céus, e pode fazer tudo o que lhe agrada. Daniel 4.34 - ...eu, Nabucodonosor ...louvei o Altíssimo; honrei e glorifiquei aquele que vive para sempre... Ele age como lhe agrada com os exércitos dos céus e com os habitantes da terra. Ninguém é capaz de resistir à sua mão nem de dizer-lhe: "O que fizeste?". Is 43:13 - Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá?

    As Escrituras Sagradas, sim, elas explicam Deus. Jesus encarnou para Revelar Seu Pai, revelar Deus, diz João 1.17. Conhecemos a Deus olhando para Jesus, e uma das verdades mais detalhadas das Escrituras é a Soberania de Deus, o Seu poder de interferir e controlar toa a História. Nada escapa ao Seu olhar. As Nações da Terra são reputados uma gota num balde, com o pó miúdo da balança, que não afeta o resultado final em nada. Aliás, diz Isaías 40.16,17, Deus considera as nações como "menos do que nada"!

    Os céus dos céus não podem abrigar Deus, como então Ele seria aprisionado em uma instituição? Como Deus seria capturado pelos rituais e dogmas de quem quer que seja? Quem o compraria com missas e cultos? Quem o enganaria com boas obras e bons comportamentos? Deus mesmo diz "O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração".

    A Reforma Protestante libertou Deus. O Filho de Deus voltou a ser o caminho de salvação. A Palavra de Deus voltou a ser importante fonte do falar de Deus, essencial para transformação do homem.
    Com a Reforma Protestante sabemos que Deus não pode ser capturado por nenhuma mente humana, não pode ser domesticado, não pode ser controlado por boas intenções e rituais bem arrumados. Deus requer vida santa, humildade, contrição e adoração genuína, mediada pelo sacrifício que o próprio Deus fez de si mesmo. Foi O Pai quem definiu o caminho até Ele - Cristo, o Crucificado e Ressurreto. É mediante o sacrifício de Jesus que o homem recebe a condição de poder chegar-se ao Criador, agora não como simples criatura, mas como filho de Deus.

    Será mesmo que a Reforma Inevitável foi um cochilo desse Deus? Estava Ele dormindo? Ou será que Ele não via, como em Ezequiel 8, as práticas repugnantes que eram feitas em nome de Deus, no meio do povo de Deus, pelos ditos servos de Deus? SIM, Deus via - Deus vê tudo. Deus sempre controla a História. A impressora recém-inventada por Gutemberg reproduziria não só palavras de Lutero e demais reformadores. Agora, a própria Bíblia era acessível a todos, que a liam e estavam expostos ao poder do Espírito Santo em sua vida pessoal. 

    O grito por Reforma já existia dentro da Igreja, mas não foi ouvido nem ecoou com mudanças significativas. A lição que fica nos remete ao Brasil: Há um grito por mudança entre os cristãos. Há um grito por integridade, por coerência, por fidelidade a Deus. Então vos digo que o Deus da História fará tantas Reformas quantas forem necessárias, e em nenhuma delas pedirá o nosso aval ou opinião, pois nós mesmos precisamos acatar o agir de Deus na História, para que não sejamos achados, como disse Gamaliel, combatendo contra Deus.

    (*) Casado com Maria Fernanda Bergsten, pai de dois filhos já casados, ex-empresário, hoje pastor de tempo integral da Comunidade Videira; Oficial da Reserva do Exército, formado em Engenharia Mecânica, com formação na FVG-RJ e Coaching pelo SBD; instrutor do SESI em diversos cursos de treinamento e capacitação em várias áreas profissionais, autor do livro Por Um Evangelho Simples e de dois canais no YouTube: <https://www.youtube.com/user/NBergsten/> e <https://www.youtube.com/user/100Rodeios



    Comentários


    10/10/2017 as 08h58m
    Cristiane Paxão escreveu:
    Excelente colocação Pr. Nils.
Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia