Em cima da hora:
População detém suspeito de roubar menor no Centro de São Carlos, SP
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Autor de livro infantil dialoga com professores em Feira de Santana


    26.09.2012 13h03m
    Recomendar
    Autor de livro infantil dialoga com professores em Feira de Santana
    O evento contou com a presença do autor José Ricardo Moreira e dos professores que trabalham com os livros de sua autoria no programa Cidade Educadora

    Texto: Morgana Gonçalves

    Foto: Edeilson Souza

    A terceira edição do Café com o autor, promovido pela editora Aymará Educação em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, aconteceu ontem (25), no Espaço de eventos da Gelateria Italiana. O evento contou com a participação do escritor e autor das historias do Programa Cidade Educadora, José Ricardo Moreira, e foi destinado a professores dos grupos 4 e 5 da educação infantil e 1° ano do ensino fundamental.

    De acordo com a chefe da Divisão de Planejamento e Técnicas Pedagógicas da Secretaria Municipal de Educação, Rosana Persico, a editora e a Secretaria programam os eventos com o objetivo de promover a participação de todos os profissionais que trabalham com os livros do projeto Cidade Educadora. “Esse encontro é muito interessante, porque acontece o diálogo entre o autor dos livros e os professores que estão vivenciando na sala de aula as histórias escritas por ele, essa troca de informações é muito importante”, disse Rosana.

    O Programa Cidade Educadora é desenvolvido em Feira de Santana em 194 escolas de ensino desde 2010. A Cidade Educadora é um conjunto de ações, produtos e serviços articulados e integrados que aborda conteúdos curriculares por meio da literatura. O programa tem uma maneira inovadora de ensinar e aprender que colabora para a formação de leitores, auxilia na construção da cidadania ativa e permite que a escola e o município exerçam seu papel de transformadores da realidade.

    A Secretaria Municipal de Educação fornece o material didático específico para os educadores e alunos para o Programa. Além disso, a Aymará Educação investe na formação continuada dos professores, promovendo o acompanhamento técnico-pedagógico semanal do trabalho realizado por esses profissionais, através de agentes pedagógicos. “Uma equipe de agentes pedagógicas que foram selecionadas pela editora Aymará recebeu um treinamento para atuarem no campo, ou seja, nas escolas, acompanhando os professores diariamente, tirando dúvidas, levando sugestões, preparando oficinas e enriquecendo o trabalho educativo”, explicou a supervisora pedagógica do Programa Cidade Educadora.



  • 20% da população brasileira só sabe escrever o nome


    21.09.2012 15h28m
    Recomendar

    Mais de 30 milhões de pessoas no Brasil com mais de 15 anos conseguem escrever o próprio nome e entender textos curtos e simples. Segundo dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), organizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) com base em dados de 2011, esse número representa 20,4% da população.

    Ao contrário da taxa de analfabetismo, que caiu 1%, o número de analfabetos funcionais, como são chamadas as pessoas que conseguem compreender apenas as informações do dia a dia, como o nome da linha de ônibus e escrever um bilhete, se manteve o mesmo nos últimos três anos.

    Na região Nordeste, a situação é mais grave: 30,9% das pessoas que estudaram ao menos quatro anos ao longo da vida são analfabetas funcionais, enquanto no Sudeste o índice é de 14,9%.

    A região Norte registrou aumento nessa taxa, passando de 24% das pessoas com analfabetismo funcional em 2009 para 25,3% em 2011.Já nas regiões Sul e Centro-Oeste, a taxa não teve variações significativas nos últimos três anos e se manteve em 15% e 18%.

    Fonte: R7 Educação

     

     



  • Professores da rede estadual vão parar outra vez dia 28


    18.09.2012 23h54m
    Recomendar

    Os professores da rede estadual de ensino fazem paralisações nos dias 28 de setembro e 3 de outubro para pressionar o governo a retomar as negociações com a categoria. Nos dias, os professores fazem manifestações na Praça da Piedade, a partir das 9h da manhã.

    A decisão foi tomada em assembleia nesta terça-feira (18) no ginásio de esportes do Sindicato dos Bancários. De acordo com Claudemir Nonato, segundo secretário do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB)

    "Voltamos para não prejudicar mais os estudantes", diz Nonato, para quem a proposta final do governo ainda não atende a todas as demandas da categoria. Os professores querem que a mesa de negociações seja reaberta.

    Apesar das paralisações, não nenhuma sinalização de greve da categoria no momento, segundo Nonato.

    Greve
    Foram 115 dias de greve dos professores na Bahia, a maior da categoria no estado.

    Entre as exigências dos docentes para o encerramento da greve estavam a não punição dos professores demitidos e a retirada dos processos administrativos daqueles que estavam em estado probatório; a devolução imediata dos quatro salários confiscados durante a greve; a devolução da contribuição mensal da APLB; além da reabertura da mesa de negociação.

    FONTECorreio da Bahia 



  • Encontro na Uefs discute aspectos do PNE


    18.09.2012 18h22m
    Recomendar

    Texto: Morgana Gonçalves

    Fotos: Guilherme Andriani

    A União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação, em parceria com o Fórum Estadual da Educação da Bahia, promoveu nos dias 17 e 18 de setembro o VII Encontro Estadual da UNCME/BA, no Anfiteatro, localizado na Universidade Estadual de Feira de Santana, mobilizando conselheiros municipais de educação, secretários municipais de educação, professores e gestores com vistas à discussão dos desafios e perspectivas para os municípios e o Plano Nacional de Educação.

    De acordo com a coordenadora estadual da UNCME, Gilvânia Nascimento, é preciso aprofundar as questões principais do Plano Nacional de Educação e suas devidas articulações com os Planos Municipais de Educação. “A União dos Conselhos Municipais de educação representa uma instância de participação social e gestão democrática em busca da qualidade da educação brasileira, por isso, o grande objetivo desse encontro é que a gente possa estar articulando junto com os municípios o Plano Nacional de Educação e por consequência o Plano Estadual de Educação”, explica a coordenadora.  

    O vice-presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação da Bahia, Renê Silva, foi um dos palestrantes falando do papel dos entes federados na garantia do direito á educação e os planos decenais de educação. “O evento esta em destaque, sobretudo para o regime de colaboração, que esta em alta na discursão sobre educação, o dialogo entre os entes federados, a união dos estados e municípios na busca de construir e conseguir efetivar um plano de educação de qualidade que garanta realmente o direito de aprender das crianças”, disse Renê.



  • Escolas destacam a história e a cultura de Feira no dia do aniversário da cidade


    18.09.2012 18h14m
    Recomendar

     

    Texto: Andreia Costa 

    Foto: Guilherme Andriani

    Edição: Danilo Guerra

    O desfile comemorativo dos 179 anos de emancipação política de Feira de Santana, ocorrido ontem na avenida Getúlio Vargas, levou várias escolas municipais, estaduaisinstituições e cidadãos para celebrar a data. Este ano, o projeto Escola na Avenida levou o tema “A história de Feira de Santanae os elementos que marcam sua cultura”. Estudantes e coordenadores se empenharam para mostrar as homenagens a ícones culturais que formaram a história da cidade

    A Escola Municipal Fada Madrinha participou levando 90 alunos que fizeram uma retrospectiva da história de Feira com um casal de jovens representando Ana Brandoa e Domingos Barbosa, fundadores da cidade. Logo depois vieram as alas dos tropeiros, da feira livre do gado, sendo um dos pilares econômicos do município, a ala de negros escravizados nas fazendas de cana-de-açúcar e apresentações de samba de roda e capoeira, lembrando o nosso patrimônio cultural.

    A Escola Minhas Crianças fez homenagem ao Corpo de Bombeiros e seu fundador, o coronel Jorge Antônio Prudente, com todos os alunos vestindo fardas do grupamento. a Escola Municipal Parque Brasil saiu homenageando os vaqueiros, o São João, figuras folclóricas e a micareta de ontem e hoje, com estudantes fantasiados e um Rei Momo com sua rainha e princesas. A Creche de Tio Jonas lembrou o centenário de Luiz Gonzaga, os artistas da terra, o bumba meu boi, a capoeira e o samba de roda. “É muito importante que as crianças participem do desfile e das homenagens, são 12 anos que a escola comparece e sempre meus alunos perguntam quando vão desfilar de novo”, disse Tio Jonas, diretor da Creche do Tio Jonas.

    Levando o tema ‘Valores para toda a vida’, a Escola Municipal Gente Miúda, lembrou as necessidades básicas da comunidade, como a saúde, educação, moradia, alimentação e lazer, além de apresentação de street dance e capoeira. Com um trenzinho, representantes do Lar do Irmão Velho, seguidos da Creche Sorriso da Vovó Zeza e do Orfanato Evangélico Casa dos Idosos, informando que é dever de todos zelar pela dignidade de crianças, adolescentes e idosos.

    A Escola Municipal Antônio Eloi da Costa levou sua fanfarra e trabalhou o lema “A educação é a arma mais poderosa para mudar o mundo” e juntamente com os participantes da escolinha de futebol do projeto Mão Amiga, lembraram a Copa do Mundo no Brasil, em 2014, e as Olimpíadas do Rio, em 2016, frisando que o esporte é um instrumento de inclusão social.

    Com a banda de percussão Tambores Proféticos, que possui 65 componentes e possui o objetivo de ocupar o tempo ocioso dos jovens e crianças da comunidade, a Escola Municipal Rubens Carvalho apresentou “Cultura Afro: mergulho nas nossas raízes”, buscando desmitificar os preconceitos da cultura africana, com seus estudantes dançando capoeira e maculelê, e com ala do bloco afro e das lavadeiras. A Escola Municipal Rosamaria Esperidião Leite, do distrito de Matinha, veio representando a natureza com crianças fantasiadas de joaninhas, animais, borboletas e flores.



  • Reposição de aulas em universidade federal pode terminar apenas em 2015


    18.09.2012 08h38m
    Recomendar

    Com o fim da greve nas universidades federais decretado anteontem pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), a preocupação dos alunos e professores agora é com a reposição de aulas e o estabelecimento do novo calendário acadêmico. Algumas universidades admitem que o ano letivo se estenderá até abril de 2013. Em um caso, na Federal do ABC, é possível que a normalização aconteça em 2015.

    Segundo levantamento do Ministério da Educação (MEC), 13 das 59 universidades federais do País ainda não finalizaram a greve. Mesmo com o enfraquecimento do comando nacional de greve, com a retomada das atividades nas universidades nas últimas semanas, o movimento alcançou ontem quatro meses de duração. A paralisação chegou a atingir 57 das 59 federais do País.

    Na nota divulgada anteontem, o Andes informa que vai encaminhar a suspensão unificada da greve nacional às instituições de ensino durante esta semana. "Majoritariamente, as assembleias locais apontaram para uma suspensão do movimento grevista até a próxima sexta-feira", afirma a presidente do Andes, Marinalva Oliveira.

    Segundo a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), a retomada das atividades nos câmpus deverá ser garantida por todas as universidades.

    Em nota, o MEC informa que o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, vai se encontrar hoje com representantes dos reitores para definir a aplicação do novo calendário. A pasta vai acompanhar a volta das atividades acadêmicas e fiscalizar a reposição das aulas.

    Fonte: Estadão

      



  • Base do Futebol e Educação de Base


    17.09.2012 17h57m
    Recomendar

    Por Renilton Silva *

    A construção de um edifício inicia-se pelo alicerce. Qualquer indivíduo, ainda que sem conhecimento de engenharia ou arquitetura, mesmo que não seja mestre de obras ou  pedreiro, sabe que o edifício seguro passa por um alicerce profundo e bem estruturado.

    Jesus, mestre por excelência disse que o homem que ouve as palavras dEle e as pratica é semelhante a um homem que cavou profundo alicerce sobre a rocha e, vindo a enchente, arrojou-se o rio contra aquela casa e não foi abalada, por ter sido bem construída.

    A questão da base ou do alicerce serve para fazermos uma relação com duas áreas muito conhecidas de nós: FUTEBOL e EDUCAÇÃO. Algumas vezes, caminham juntos, parece até que se faz uma escolha: ou se é bom aluno ou bom jogadorde futebol e, inclusive nas políticas públicas muitas Secretarias de Estados ou Municípios relacionam-se diretamente: Educação, Esportefutebol, Cultura e Lazer. Os resultados, infelizmente negam nosso fantástico talento e potencial nessas duas áreas, aqui, de modo bem superficial atribuído especificamente à questão das falhas na base, no alicerce. Devíamos ganhar todas as competições de futebol, pelo talento nato e a forma como se inculca nas crinaças a fome e sede pelo jogo de bola, também, nossos resultados educacionais deveriam ser bem melhores, pois ampliou-se a carga horária, investiu-se muito dinheiro, universalizou-se o acesso, merenda escolar, transporte para educandos, coisas impensáveis há 40 ou 50 anos, mas erramos terrivelmente na questão do alicerce a famosa base, na direção dos investimentos e principalmente na valorização dos profissionais.

    Tive o privilégio de observar, ainda que superficialmente a experiência de renovação das divisões de um clube de futebol. Observei peneiras, sonhos, talentos e o lento processo de lapidação de atletas no futebol, inclusive da formação do caráter, da competitividade e todos os ingredientes para se fazer um alicerce seguro.

    Apenas o tempo dirá quais os resultados para o clube. Porém, o compromisso dos envolvidos, as disputas naturais dos atletas, os sonhos dos adolescentes e de suas famílias que investem tudo fazem com que muitos José, João, Marcos, Manoel deixem lugares longínquos, Brumado, Piritiba, Miguel Calmon, Mairi, Caetité e tantas outras cidades da Bahia e fora do Estado para investirem sonhos em Feira de Santana.

    A base definirá o futuro do Clube em médio e longo prazo. Se for boa, os resultados virão, não no imediatismo, mas na segurança de bons e duradouros tempos. No caso da educação é notório como se inverte completamente a ordem. Os maiores investimentos na casa, parecem começar pelo telhado e não na estrutura, na base, no alicerce. As políticas públicas mais valorizadas e mais divulgadas são as relacionadas à Universidade. No Brasil, investe-se de forma invertida. Os melhores salários são para professores das Universidades. A base sofre. É algo tão grosseiro que, se um professor faz um bom trabalho na Creche, a ideia é que seja “promovido” para o Ensino Fundamental, depois o Ensino Médio.

    Base do Futebol e Educação Básica, tudo isso tem a ver com alicerce. Consertar alicerce deve ser complicado, mas acredito que sempre tenha jeito, porém quanto mais cedo acordarmos, melhor.

     * Professor da rede pública e particular de Feira de Santana.



  • Audiência sobre racismo em obra de Monteiro Lobato termina sem acordo


    13.09.2012 01h11m
    Recomendar

    Terminou sem um acordo formal a audiência de conciliação realizada ontem pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar resolver impasses em torno da adoção de livros de Monteiro Lobato pela rede pública de ensino

    O assunto está sob análise do STF porque o Instituto de Advocacia Racial e Ambiental (Iara), uma entidade do movimento negro sediada no Rio de Janeiro, protocolou um mandado de segurança sustentando, entre outros argumentos, que o livro Caçadas de Pedrinho, do escritor paulista Monteiro Lobato (1882-1948), contém "elementos racistas".

    A reunião de ontem, que contou com a participação de integrantes do Iara e do Ministério da Educação (MEC), não conseguiu resolver completamente a pendência. Ficou acertado que um novo encontro ocorrerá no próximo dia 25, no MEC. Nesse encontro será discutida a implementação de medidas como o treinamento dos professores que ministrarão aulas com base na obra de Monteiro Lobato.

    Advogado e diretor do Iara, Humberto Adami disse que as duas partes estão em negociação. Se for fechado um acordo, o STF homologará a desistência do mandado de segurança

    Adami afirmou que, ao partir para a negociação, tanto o governo quanto o Iara cederam. "Audiência de conciliação é isso. Você não pode chegar e dizer que quer 100%. Tem de ceder para chegar a um ponto médio", afirmou o advogado. Antes da audiência, Adami disse que o livro incentiva o bullying nas escolas. "Não ninguém, ao não ser o Ziraldo, que não traços racistas na obra de Monteiro", disse.

    Nessa negociação, o governo aceitaria discutir a implementação das medidas que envolvem, por exemplo, a capacitação dos professores para explicar aos alunos o contexto em que a obra foi escrita. Quanto ao instituto, o recuo seria aceitar a manutenção de um parecer do MEC que liberou a adoção dos livros desde que fosse fixada a implementação das medidas.

    Discussão. Para o professor Paulo Vinícius Baptista, do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade Federal do Paraná (UFPR), "a obra tem conteúdo racista, mas não é possível afirmar com segurança o tipo de dano às crianças no momento da leitura". 

    Para o escritor Ilan Brenman, autor de A Condenação de Emília: o Politicamente Correto na Literatura Infantil, "não é possível a criança virar racista lendo Caçadas de Pedrinho. Elas estão mais interessadas nas trapalhadas que na cor de pele dos personagens". Opinião semelhante tem o membro da Academia Brasileira de Letras (ABL), Ivan Junqueira: "Não se deve tomar nenhuma providência com relação a eventuais traços racistas de obras da literatura brasileira, senão não ficaríamos somente em Monteiro Lobato."

    FONTE: Estadão



  • Ex-alunos do Assis promoverão encontro


    12.09.2012 13h53m
    Recomendar

    Será realizado no dia 23 de Setembro de 2012 o IX Encontro dos Ex-alunos do Colégio Assis Chateaubriand a partir das 11 horas. “O primeiro encontro foi realizado com cerca de 35 pessoas na chácara do também ex-alunos Pedro Neto ( Loplast ) a festa cresceu tanto que resolvemos fazer os outros no próprio colégio, chegamos a ter 350 pessoas, hoje reduzimos para 250 ex-alunos para dar mais conforto a todos”, explica Gilmar Ferreira, um do organizadores do evento.

    Atualmente muitos dos ex-alunos são juízes, prefeitos, vereadores, deputado, médicos,dentistas, enfermeiros, radiologistas, empresários e outros bons profissionais,vindo gente de outras Cidade da Bahia e outros Estados.  A comissão da festa é Formada Por Gilmar Ferreira, Diógenes Antônio, Jussara Melo, Mércia Nunes, Carlos Laet, Pedro Paulo, Omar Ferreira, Rubia Freitas e Antônio Roberto.



  • Revista Sitientibus publica sobre educação especial


    12.09.2012 13h33m
    Recomendar

    A Universidade Estadual de Feira de Santana lança, nesta quinta-feira (13), a 44ª edição da Sitientibus. A revista contém 11 artigos de professores da Uefs e de outras instituições, todos com temática no campo da Educação Especial.  Esta edição tem a participação de professores do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação Especial (Gepee/Uefs), representado pelas docentes Marilda Carneiro e Zenilda de Jesus.

    Editor da revista e coordenador do Programa Interuniversitário para Distribuição do Livro (PIDL/Uefs), o professor Raymundo Luiz Lopes revelou que a esta edição foi apresentada ao público, “com excelente repercussão”, em 31 de agosto naReunião Anual dos Projetos Capes: Proesp/Procad-NF, realizada na Faculdade de Educação da Ufba, em Salvador. Na oportunidade, Raymundo Luiz discorreu sobre a história da revista, que em 2013 vai completar 30 anos.

    A capa foi ilustrada pelo artista plástico Gemicrê Nascimento e a contra-capa contém fotografia de autoria de George Lima.

    Na Uefs, o lançamento da 44ª edição da Sitientibus integra as atividades da Semana de Pedagogia. Será no auditório do módulo 4, campus universitário, às 10h30 desta quinta-feira.

    FONTEAscom/Uefs



  • Aula prática de manutenção da Tecnologia da Comunicação


    12.09.2012 13h05m
    Recomendar

    Dezenas de alunos do Centro Integrado de Capacitação e Apoio ao Adolescente e Família Gilsa Melo (Cicaf) tiveram a oportunidade de aprender os primeiros passos para montagem de impressoras e netbooks na manhã desta quarta-feira (12), na Software Data. A atividade extra é direcionada aos alunos do curso de Manutenção em Micros e conta com a participação de aproximadamente 40 alunos nesta quarta-feira e quinta-feira (13).

    Na oportunidade, os estudantes puderam acompanhar os profissionais montando e desmontando impressora e netbooks. “Esta atividade é boa para que os alunos conheçam a área que estão estudando, de Tecnologia de Informação. Eles estão conhecendo peças novas e gostaram bastante. A visita tem sido bastante proveitosa”, ressalta o professor da turma, Marcos Rodrigo Carneiro.

    Para o jovem Wesley Silva, a experiência é ótima, pois permite o aprendizado de novos conhecimentos. “Fiquei sabendo de muitas coisas novas, como a sodagem, a importância de não abrir as placas a olho nu e vários outros conhecimentos”, conta o aluno.

    Também estudante do curso de Manutenção em Micros, Flaviane dos Santos considera a atividade bastante interessante. “Isso aqui é muito bom porque a gente não encontra professores em qualquer lugar para aprender sobre a área de Tecnologia da Informação. Eu mesma, nunca tinha observado como a montagem de uma impressora é trabalhosa”, comenta.

    O curso de Manutenção em Micros do Cicaf possui 40% da grade teórica e 60% prática, além das aulas extras, o que totaliza uma carga horária de 120 horas. As aulas começaram no mês de julho e terminam em dezembro desse ano. O Cicaf está localizado na rua Manoel Matias, s/nº, bairro Tanque da Nação.

    Fonte: Secom



  • Inscrições para vestibular da Ufba começam nesta terça-feira


    11.09.2012 00h36m
    Recomendar

    As inscrições para o Vestibular 2013 da Universidade Federal da Bahia (Ufba) começam nesta terça-feira (11) e seguem até o dia 10 de outubro. pode se inscrever quem esteja regularmente inscrito no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Pela primeira vez, a instituição usará a nota do exame como seleção dos candidatos na primeira fase

    A inscrição custa R$ 70 para cursos de Progressão Linear (CPL), os tradicionais. A inscrição é gratuita para candidatos aos cursos de Bacharelado Interdisciplinar (BI), Superior de Tecnologia (CST), de Progressão Linear (CPL/Barreiras) e isentos.
    O Enem será aplicado nos dias 3 e 4 de novembro e terá 180 questões de Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Códigos e Matemática, além da redação
    O resultado da primeira fase dos cursos tradicionais da Ufba está previsto para 10 de janeiro de 2013. As provas da segunda fase estão marcadas para 20 e 21 de janeiro. Os candidatos serão submetidos a provas discursivas e redação, como nos outros anos. A realização da segunda fase é exclusiva para os CPL, excetuados os do campus de Barreiras.


    As inscrições devem realizadas pela internet (no site www.vestibular.ufba.br) e nos postos de atendimento montados nas cidades de Salvador – sede do SSOA, localizada na Rua Dr. Augusto Viana, 33 – Canela, Salvador–BA (em frente à Reitoria); Vitória da Conquista – no Instituto Multidisciplinar de Saúde – Campus Anísio Teixeira (IMS-CAT); e BarreirasInstituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável (ICADS). 

    Veja abaixo o calendário do vestibular:

    OUTUBRO

    09: Último dia de inscrição 
    11: Último dia para pagamento da inscrição de R$ 70 (exceto BI, CST, CPL - Barreiras e Isentos
    18 a 26: Conferência obrigatória da inscrição, da situação e dos dados cadastrais

    NOVEMBRO 

    03 e 04: Provas dafase ENEM. Provas aplicadas pelo ENEM para TODOS os candidatos inscritos

    JANEIRO 2013 

    até 10: Resultado dafase (CPL, exceto Barreiras
    14: Cartão Informativo indicando o local de provas dafase (apenas CPL
    20 e 21/01: Provas da 2ª fase. Resultado do BI,CST/ENEM e do CPL Barreiras

    FONTE: Jornal Correio da Bahia 



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia