Em cima da hora:
UPE abre inscrições para cursos de idiomas e informática nesta segunda
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Com intervenção do MP, desfecho fica mais próximo


    11.07.2012 10h08m
    Recomendar

    A greve dos professores da rede estadual na Bahia ultrapassou os 90 dias e transcende todos os limites da tolerância. O movimentoque gera opiniões contraditóriasdeixa transparecer alguns indícios do seu final, que muitos acreditam estar próximo. Uma das situações que reforça esta tese é a intervenção do Ministério Público Estadual, que está intermediando as negociações para que o movimento possa ser encerrado até o final desta semana

    Os professores pedem reajuste de 22,22%. Eles alegam que o governo fez acordo com a categoria, em novembro do ano passado, que garantia os valores do piso nacional, e depois ignorou o acordo mandando para a Assembleia um projeto de lei com valores menores. A proposta feita pelo governo prevê reajuste salarial entre 22% e 26% por meio de progressão na carreira, através da presença regular em cursos de qualificação promovidos pelo governo. O sindicato aponta, por outro lado, que a proposta não contempla os professores aposentados, em licença médica e estágio probatório. Esta situação gerou um impasse que perdura mais de três meses e está prejudicado mais de 1 milhão de estudantes que estão sem aulas, correndo sério risco de perderem o ano letivo.

    Para resolver a questão, Ministério Público intermedeia um consenso entre os professores e o Estado. Três reuniões podem definir a situação: ontem, representantes do MP estiveram conversando com a APLB (Associação dos Professores Licenciados da Bahia); hoje será a vez de um encontro com membros ligados ao Governo do Estado e por fim, amanhã, se espera um encontro de ambas as partes para que, quem sabe, aconteça uma solução definitiva.  

     TRIBUNAL

    A Justiça da Bahia confirmou a ilegalidade da greve dos professores da rede estadual de ensino, em julgamento realizado na tarde de sexta-feira (6). A decisão foi proferida pela desembargadora Deisy Lago Coelho, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), que relatou o processo. Na decisão, ela determinou a imediata suspensão da greve e dobrou o valor da multa diária a ser paga pelo sindicato da categoria em caso de desobediência, de R$ 10 mil. A ilegalidade da greve havia sido declarada pelo juizVara da Fazenda Pública de Salvador, Ricardo D’ Ávila, no dia 14 de abril, três dias após a primeira assembleia.



  • Aleluia compara Jorge Portugal a Demóstenes Torres


    09.07.2012 13h41m
    Recomendar
    Aleluia compara Jorge Portugal a Demóstenes Torres
    A empresa do professor Portugal comanda os Aulões do Governo

     “O professor Jorge Portugal pode ser comparado ao senador Demóstenes Torres, que se apresentava como o arauto da moralidade pública, mas defendia interesses de um contraventor. No caso de Portugal, ele posava na mídia como defensor da educação, mas se revelou um verdadeiro depredador da educação ao assinar oportunisticamente, em plena greve dos professores, um contrato milionário com o governo estadual para dar aulões”, observou o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia, em entrevista à rádio CBN Salvador, hoje (09) de manhã.

    O líder democrata é o autor da ação popular que requer o cancelamento do contrato da Abaís, empresa do professor Jorge Portugal, com o governo estadual no valor de mais de R$ 1,5 milhão para prestação de serviços educacionais Pré-Enem, pelo prazo de 180 dias. O processo está naVara da Fazenda Pública e aguarda julgamento de liminar pelo juiz Ricardo D’Ávila.

    Para Aleluia, o contrato fere os princípios de moralidade e legalidade que regem a administração pública. “É um absurdo e um total desrespeito aos professores da rede estadual de ensino, que ganham menos de R$ 9 por hora-aula, pagar R$ 250 pelo mesmo tempo de trabalho aos amigos de Jorge Portugal. Nenhum professor de doutorado ganha esse valor no Brasil. Tenho confiança que a Justiça vai cancelar esse contrato, que é um verdadeiro assalto ao povo”.

    Fonte: Assessoria do deputado Aleluia



  • É melhor ser coveiro que jornalista em MG


    06.07.2012 13h32m
    Recomendar

    A formação acadêmica e a atividade considerada intelectual exercida pelos profissionais da comunicação não são suficientes para garantir uma remuneração digna. A Prefeitura de Iguatama, no centro-oeste mineiro, publicou edital de concurso público oferecendo uma vaga para o cargo de assessor de comunicação, salário: módicos R$ 622,73 para carga horária semanal de 40 horas. O candidato deve ter formação superior em Jornalismo. No mesmo certame, oportunidades para coveiro com exigência de escolaridade inferior - ensino fundamental - e salário melhor, R$ 806,90. Para "alento" dos profissionais de comunicação, os aprovados para o cargo de lixeiro receberão a mesma remuneração do jornalista.

    Não se trata de menosprezo aos cargos de coveiro e lixeiro, que, inclusive, deveriam ter remuneração melhor, mas a questão fundamental, digna de reflexão, está vinculada à falta de representatividade e a consequente desvalorização profissional dos jornalistas.

    O edital publicado pela Prefeitura de Iguatama explicita, no mínimo, dois pontos importantes. O primeiro, óbvio, a questão da remuneração. Apesar de existir um piso estadual para a categoria, R$ 1.480 para os profissionais que atuam em rádio e R$ 1,6 mil para funcionários de emissoras de televisão e produtoras, segundo informações da Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj), rotineiramente este normativo não é considerado. Aliás, uma lacuna na própria divulgação destes dados.

    Afinal onde se enquadram os profissionais que exercem atividade em jornais impressos, mídias eletrônicas e assessorias de comunicação? O valor base deveria contemplar a formação em Jornalismo e não a área de atuação. Atualmente tramita na Câmara Federal projeto de Lei 2.960/2011 que propõe piso nacional para a categoria. Remuneração de R$ 3.270 para 30 horas semanais de trabalho.

    Aliás, a jornada de trabalho do jornalista é o segundo aspecto que merece reflexão. Apesar de a legislação fixar a jornada em cinco horas diárias, diversas instituições, como é o caso da Prefeitura de Iguatama, propõem carga horária superior. Para "driblar" a legislação, as instituições contratam jornalistas como analistas ou assessores de comunicação, o que não justifica a alteração na carga horária. Importante frisar que as normas federais específicas aos jornalistas sobrepõem a possíveis leis estaduais e municipais sobre o tema.

    O edital publicado pela Prefeitura de Iguatama, por mais inconcebível que pareça, tem serventia fundamental para avançarmos na análise do contexto em que os profissionais do jornalismo estão inseridos. Um ambiente de responsabilidade social evidente e, ao mesmo tempo, de total desvalorização. E não econômica. É claro que não espaço para generalizações, mas é importante observarmos o que é regra e o que configura exceção nas questões que envolvem a comunicação na gestão pública. O discurso que prega transparência nem sempre configura ação. Os gestores, em sua maioria, carecem de visão estratégica quando o assunto está relacionado à comunicação institucional.

    Em tempo, as inscrições para o concurso da Prefeitura de Iguatama começam no dia 27 de julho e, pasmem, a taxa de inscrição corresponde a quase 10% do salário de assessor de comunicação, R$ 60. Eis a cova rasa do Jornalismo.

    *Cristiano Alvarenga
    Coordenador de Jornalismo da Universidade Federal de Uberlândia (MG)
    [email protected]



  • Kit gay disfarçado entra em escolas


    06.07.2012 11h39m
    Recomendar

    Adaptado porJulio Severo

    Uma espécie de "kit gay" é a mais nova ameaça à família brasileira. O pedagogo e diretor de escola em São Paulo-SP, Felipe Nery, denunciou na terça-feira, 3, em Brasília, durante reunião da Frente Parlamentar Evangélica no Congresso Nacional, a distribuição em escolas do país de livros didáticos e paradidáticos que defendem a homossexualidade, bissexualidade e transsexualidade. Os livros são recomendados pelo Ministério da Educação (MEC) e trazem figuras e imagens de homossexuais que confrontam o conceito tradicional e natural da família, da forma criada por Deus.

    Essa exposição da homossexualidade como um comportamento positivo diante de crianças e adolescentes, que são uma audiência cativa e com mente em formação, pode alterar a mentalidade dos alunos pelo resto da vida, forçando neles a visão de ideólogos que ocupam posição de autoridade no governo e nos meios editoriais.

    Para quem não lembra, "kit gay" foi o apelido que ganhou o material "didático" que seria distribuído pelo governo nas escolas com forte conteúdo homossexual em que crianças e adolescentes seriam mostrados "assumindo" sua homossexualidade perante colegas e professores. Após pressão da bancada evangélica e católica na época do lançamento, a presidente Dilma determinou a suspensão da distribuiçãodo material.

    Nery, que é membro do Instituto de Ensino Superior de São Paulo, mostrou três exemplos do novo "kit gay". Os livros "Porta Aberta" da autora Mirna Lima editado pela FTD, voltado para alunos de seis anos; "Aprendendo a Viver, Sexualidade", das autoras Patricia Mata e Lydia R, editados pela Ciranda Cultural para alunos de 10 e 11 anos e o livro "Menino Brinca de Boneca?", de Marcos Ribeiro e editado pela Moderna voltado para qualquer idade.

    No primeiro livro, um jogo da memória com figuras de casais homossexuais com "filhos". No segundo, são expostas imagens de duplas homossexuais e são exibidas figuras que mostram como colocar um preservativo no pênis. o livro "Menino Brinca de Boneca?" tem o prefácio da senadora Marta Suplicy (PT-SP), militante da causa do aborto e do supremacismo gay.

    "Nos livros podemos ver que são apresentadas figuras, dentre as quais uma família dita normal mas onde também colocam dois homens e uma criança, duas mulheres e uma criança, criança sem o pai, os avós cuidando, filhos adotivos, etc. Isso não deveria nem constar nos livros para crianças de seis anos de idade que estão trabalhando a história desta forma. O 'kit gay', de uma outra maneira, entrou nas escolas brasileiras", alertou o pedagogo.

    Para Felipe Nery, esses materiais estão em qualquer escola. "O problema é que nós, pais, muitas vezes não vemos isso aqui. O diretor de colégio não isso aqui, ele confia no professor. Para o diretor é muito difícil ver todos os livros porque são pilhas e pilhas no final do ano para analisar. O professor é que vai ver o material. Muitas vezes o colégio ganha os livros que vão para a biblioteca e quem vai ver será o aluno. São centenas de editoras que trazem o mesmo tipo de material que é a ideologia implementada pelos ativistas homossexuais", disse.

    Deputados da Frente Parlamentar Evangélica (FPE) decidiram criar uma comissão para analisar o material apresentado pelo diretor e oferecer ações para removê-los das escolas e impedir a sua distribuição. Para o deputado Filipe Pereira (PSC/RJ), a FPE deve confrontar o ministro da Educação, Aloízio Mercadante, para que ele explique a distribuição desta material. "Como ação política, antes mesmo de qualquer outra de natureza jurídica, defendo ir ao ministro e cobrar dele as explicações devidas", afirmou.

    Os parlamentares também estudam entrar com uma representação contra o MEC e as editoras no Ministério Público Federal a fim de que o "kit gay" disfarçado seja retirado das escolas públicas e particulares.

    No ano passado, a FPE adotou várias ações contra o "kit gay". A população também reagiu. A pressão foi enorme.

    Contudo, apesar dos recuos estratégicos, o governo está sempre avançando no "kit gay", de uma forma ou de outra, abertamente ou não.

    Usam, pelos impostos, nosso próprio dinheiro para poluir e emporcalhar a mente das crianças nas escolas.

    Enquanto Xuxa, a turma do ECA e conselhos tutelares trabalham febrilmente para confiscar dos pais o direito de disciplinar os filhos, os ativistas socialistas que estão no governo, editoras e mídia estão determinados a enfiar goela abaixo das crianças sua doutrinação, sua lavagem cerebral, a favor do supremacismo gay, custe o que custa.

    O custo, é claro, é os nossos filhos.
    Adaptado do artigo "Kit gay disfarçado entra nas escolas com aval do governo"
    Fonte: www.juliosevero.com



  • MEC divulga 1º resultado do Prouni


    05.07.2012 14h05m
    Recomendar

    O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta quinta-feira, 5, a lista dos pré-selecionados em primeira chamada para receber uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni). O resultado está na página do programa na internet (http://prounialuno.mec.gov.br/?c=3) e pode ser acessado somente pelos inscritos no processo de seleção.

    Cerca de 456 mil estudantes se inscreveram para disputar uma das 90 mil bolsas disponíveis para o segundo semestre de 2012.

    Os alunos pré-selecionados deverão comparecer às instituições de ensino até o dia 13 de julho para apresentar a documentação que garante o benefício e providenciar a matrícula. A lista dos documentos necessários também pode ser consultada no site do programa. Está prevista ainda uma segunda chamada para 20 de julho.

    Nesta edição foram oferecidas 52 mil bolsas integrais e 37 mil parciais, que custeiam 50% da mensalidade. O benefício integral pode ser pleitado por estudantes com renda familiar per capita mensal até 1,5 salário mínimo. as bolsas parciais destinam-se a quem tem renda familiar per capita de até três salários mínimos.

     

     


  • Estudantes rejeitam plano de aula


    04.07.2012 15h07m
    Recomendar

    Na manhã desta quarta-feira (4), alguns estudantes protestaram contra o plano de aula organizado pelo governo. Eles pararam o trânsito na Avenida Afrânio Peixoto, em frete ao centro de Abastecimento de Periperi com faixas e músicas.

    Discentes dos colégios Barros Barreto, Carlos Barros, Edson Tenório, Sete de Setembro, João Caribé, Anfrizian Santiago e Maria Odete, acompanhados por um carro de som, pedindiam as aulas, respeito e solução para aproblemática que dura 85 dias.

    Parafraseando o roqueiro Raul Seixas, um dos manifestantes disse que a solução é “alugar o Brasil”: “isso pode resolver, que ele (o governador Jaques Wagner), não consegue solucionar o problema com os professores. Enquanto ele não cumpre acordo, nósdependentes do sistema público, ficamos sem perspectivas para o futuro profissional”, disse Neijackson,18.

    A jovem Ivana Santana (18), líder do movimento estudantil, mostrou à reportagem do Bocão News um documento que, segundo ela, seria uma afronta: “neste documento que recebi, consta a orientação para os professores dos 19 polos de aulões. Mas, na aula que fui hoje, o que vi foi um professor que parecia não saber o que estava fazendo. Ele nos colocaram em uma sala para assistir Telecurso 2000. Isso é uma falta de respeito. Se não temos chances com o plano normal de aula, com este é impossível ter bom desempenho no vestibular, concorrendo com estudantes da rede particular ou outras instituições”, denunciou a jovem. Durante a manifestação, os estudantes travavam o trânsito ao som de Reta Lee “Deus me defenda da sua injuria, da sua inveja, as sua arrogância”.

    Reproduzido do portal Bocão News



  • Academia de Educação de Feira recebe novos membros


    04.07.2012 13h54m
    Recomendar

    A Academia de Educação de Feira de Santana elegeu, recentemente, mais três educadoras que passarão a compor o seu quadro de acadêmicos titulares.  A Professora Antonia Carlinda Cunha de Oliveira será a titular da Cadeira 23, cujo Patrono é o saudoso ex-Reitor da UEFS Dr. José Maria Nunes Marques; a Professora Maria Lucia Silva Servo, irá ocupar a Cadeira numero 24, que tem como Patrono o também saudoso ex-Professor da UEFS Carloman Carlos Borges e a Professora Lélia Vitor Fernandes de Oliveira, ocupará a Cadeira numero 25, cujo Patrono é Honorato Bonfim.

    A sessão solene de posse acontecerá no dia 31 de julho, às 19 horas, no teatro da CDL - Câmara de Dirigentes Lojistas - Praça Mons. Renato Galvão, nº 173, devendo congregar amigos e familiares das novas acadêmicas, além de educadores e pessoas dos diversos segmentos da sociedade de Feira de Santana.

    As Professoras Antonia Carlinda e Maria Lucia Servo integram o quadro de docentes da UEFS, possuidoras de um vasto currículo e a Professora Lélia Vitor, atualmente Diretora do Departamento de Ensino da Secretaria Municipal de Educação e Presidente da Academia de Letras e Artes de Feira de Santana, é considerada  um patrimônio vivo da história de Feira de Santana e sua gente, pelo valioso acervo que possui, incluindo os livros de sua autoria, bastante conhecidos.

    A Presidente da Academia, Professora Anaci Bispo Paim, disse sentir-se feliz e honrada em  acolher pessoas cujo perfil de educadoras comprometidas é do conhecimento de todos, ressaltando a grandiosa contribuição que certamente proporcionarão à Academia de Educação.



  • TVE estreia programa voltado para o vestibular


    04.07.2012 11h49m
    Recomendar

    Ontem (3), estreou pela TVE Bahia a temporada 2012 de preparação para os vestibulares com o ‘Faixa Educação’, projeto com três horários diários de exibição, de segunda a sexta-feira, das 6 às 8h; das 19h30 às 21h e da meia-noite às 2h da madrugada.

    Pelo quarto ano consecutivo, os estudantes vestibulandos terão oportunidade de revisar, por intermédio da TV, conteúdos do ensino regular, como história, biologia, matemática e literatura, pedidos nas provas de ingressos às universidades.

    Serão dois programas, um é o ‘Educa Bahia’, que trará 77 aulas de todas as áreas do conhecimento pedidas nas provas de vestibular, como química, física, biologia, matemática, história, geografia, literatura, gramática e redação.

    “Mas nós também temos uma parte de resolução de provas do Enem, do período de 2003 a 2011, e uma parte de programação neurolinguística, para trazer mais segurança aos estudantes”, enfatiza o professor Antônio Marival Chaves Filho, responsável pelo ‘Educa Bahia’.

    O outro é o ‘É Bom Saber’, que está em sua segunda edição na TVE e traz 160 programas inéditos. “Além disso, reexibiremos também a primeira temporada desse mesmo programa, a de 2011, para otimizar a dinamização dos conteúdos aos estudantes do terceiro ano que farão as provas do Enem e outros vestibulares”.

    Como na edição do ano passado, o projeto também contemplará o uso de Língua Brasileira de Sinais (Libras) para garantir a inclusão de ações sociais que contribuam para um desenvolvimento educacional acessível aos jovens em geral. A programação completa pode ser conferida pela TVE Bahia ou acompanhada ao vivo pelo Portal do Irdeb Instituto de Rádio difusão Educativa da Bahia.



  • Município caminha para 3ª unidade letiva, Estado não saiu da primeira


    04.07.2012 11h24m
    Recomendar
    Município caminha para 3ª unidade letiva, Estado não saiu da primeira
    Elisangêla Ribeiro, vice-diretora da Escola Municpal Ana Brandoa

    Com grande expectativa, os estudantes Feira de Santana retomaram suas atividades nas escolas da rede municipal de ensino, ontem (3). Cada unidade de ensino, a seu modo, fez algumas ações para recepcionar alunos, pais e professores. Entre os mimos para acolher os alunos estavam mensagens de boas-vindas, decoração especial além de dinâmicas nos pátios das escolas.

    Na Escola Municipal Ana Brandoa, no bairro do Tomba, o dia foi de acolhida aos estudantes e pais. na sala de aula, os estudantes participaram de uma série de ações educativas que perduraram por todo o turno letivo. “Hoje foi bom, porque reencontramos os amigos, participamos de atividades e contamos como foi nossas férias”, disse o aluno Mateus Santos.

    De acordo com vice-diretora da escola, Elisângela Ribeiro, apesar de os estudantes terem apenas uma semana de recesso junino, todos souberam aproveitar bem o tempo para descansar e recomeçar.

    Ontem, no primeiro dia do retorno às aulas, a presença dos estudantes ainda foi tímida, mas a expectativa da vice-diretora que hoje a frequência se normalize. “Hoje (ontem) tivemos poucos alunos. Mas a partir de amanhã (hoje) tudo se normaliza”.

    A Ana Brandoa é uma das escolas municipais contempladas com o projeto Jornal das Escolas, uma iniciativa desenvolvida pelo Departamento de Educação do Jornal Folha do Estado em parceria com a Prefeitura Municipal por intermédio da Secretaria Municipal da Educação. O projeto visa disponibilizar um exemplar do jornal por sala de aula para ser debatido ou utilizado como instrumento didático-metodológico.

    Greve continua

    Enquanto os professores do município estão voltando para com planejamento para a terceira unidade letiva, os da rede estadual não conseguiram sair da primeira.

    Ontem, eles realizaram mais uma assembleia, em Salvador, e decidiram pela permanência da greve, que dura 85 dias

    O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que os autos da ação civil pública que discute a greve fossem remetidos imediatamente ao Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

    TJ-BA informou que aguarda a chegada do processo para agendar a apreciação. Em nota, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) ressalta que o julgamento atual não afeta o do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que manteve o corte do salário dos professores que participam da greve

    Contratos rompidos

    Os contratos de 57 professores do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda) foram rescindidos pela Secretaria da Educação (SEC) e a Secretaria da Administração do Estado da Bahia (Saeb), por não acatarem o retorno imediato às salas de aula. Além disso, três professores foram afastados por comportamentos inadequados.

     

     



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia